>

Qualicorp explica

Pesquisar Artigos
  • O que é a endometriose

  • Saiba mais.
  • Publicado em: 31/03/2016 00:00

 

 

 

 

Na endometriose, o endométrio, que é o tecido que age como a mucosa que reveste a parede interna do útero, cresce em outras regiões do corpo causando dor, sangramento irregular e possível infertilidade.A ginecologista Rosa Maria Neme explica que a doença atinge mulheres que menstruam e exige tratamento cuidadoso e atenção contínua. Isso porque a endometriose pode se expandir para órgãos vitais, como o intestino e a bexiga, atrapalhando o funcionamento deles e prejudicando o organismo feminino.

A ginecologista Rosa Maria Neme explica que a doença atinge mulheres que menstruam e exige tratamento cuidadoso e atenção contínua. Isso porque a endometriose pode se expandir para órgãos vitais, como o intestino e a bexiga, atrapalhando o funcionamento deles e prejudicando o organismo feminino.

A doença tem outras possíveis complicações, como dor pélvica crônica ou prolongada que interfere nas atividades diárias, além de cistos grandes na pélvis que podem sofrer ruptura. Muito raramente, um câncer pode se desenvolver nas áreas de endometriose após a menopausa.

Causas da endometriose

A causa da endometriose é desconhecida, mas existem algumas teorias. Uma delas é que as células endometriais liberadas durante a menstruação voltam pelas trompas de Falópio para dentro da pélvis, se implantam e crescem na cavidade pélvica ou abdominal.

Outra teoria é sobre a possibilidade de existir alguma diferença no sistema imunológico das mulheres que desenvolvem a endometriose, tornando-o incapaz de reconhecer e destruir o tecido endometrial que cresce fora do útero.

Além disso, uma pesquisa publicada recentemente nos Estados Unidos sobre pesticidas organoclorados e o risco de endometriose, sugere que produtos químicos ambientais persistentes que exibem propriedades hormonais, tais como pesticidas organoclorados, podem aumentar muito o risco de ter endometriose.

Seja como for, mulheres com histórico de endometriose na família têm mais probabilidade de desenvolver a doença. Outros possíveis fatores de risco são possuir qualquer condição que impeça a passagem normal do fluxo menstrual para fora do corpo, histórico de infecção pélvica e anormalidades uterinas.

Sintomas de endometriose

A dor é o principal sintoma, embora possa não existir em muitos casos. Algumas mulheres com casos graves de endometriose nunca sentem dor, enquanto outras com endometriose leve sentem dor intensa.

Os sintomas podem incluir menstruações dolorosas, dor no baixo abdome que pode ocorrer por uma semana ou duas antes da menstruação ou durante a menstruação, dor durante ou após a relação sexual, dor ao evacuar e dor pélvica ou lombar que pode ocorrer a qualquer momento do ciclo menstrual.

Tratamento da endometriose

Apesar de não ter cura definitiva, a endometriose possui tratamento. A especialista alerta que a endometriose é uma doença progressiva. A falta de tratamento vai causando processos de aderências dos órgãos e infiltração dos focos de endometriose nos órgãos vizinhos.

O tratamento mendicamentoso é indicado para a maioria dos casos e também para auxiliar na diminuição da chance de reincidência da doença após o tratamento cirúrgico. Nos casos mais severos, quando a endometriose já atingiu vários órgãos, o mais indicado é o procedimento cirúrgico, ela explica.

Quando a endometriose atinge os ovários, a ginecologista diz que sua retirada é sempre evitada, já que são importantes não só na produção dos hormônios, mas, principalmente, para a fertilidade. Portanto, procura-se retirar apenas o cisto de dentro do ovário de endometriose.

Alguns estudos apontam que uma dieta rica em alimentos com as vitaminas A, C e E, minerais antioxidantes, ômega 3 e cereais que possuem ação anti-inflamatória podem ajudar na diminuição dos danos causados pela endometriose.

Além disso, algumas modalidades de fisioterapia, como cinesioterapia e RPG, bem como a acupuntura podem agir em conjunto com outros tratamentos para melhorar as dores sentidas pelas pacientes.

Referências

http://www.mayoclinic.com/health/endometriosis/DS00289

http://ehp.niehs.nih.gov/1306648/