>

Qualicorp explica

Pesquisar Artigos
  • Botulismo

  • Saiba mais.
  • Publicado em: 26/01/2015 15:06

O botulismo é uma doença não contagiosa, resultante da ação de uma potente toxina produzida pela bactéria Clostridium botulinum. Existem três formas de botulismo: botulismo alimentar, botulismo de ferimentos e botulismo intestinal.

O local de produção da toxina é diferente em cada uma dessas formas, porém todas se caracterizam por manifestações neurológicas e/ou gastrointestinais. Dependendo do grau do botulismo, a doença pode se tornar grave, com necessidade de hospitalização prolongada.

Conheça os três tipos de botulismo:

Botulismo alimentar: acontece quando a pessoa ingere algum alimento contaminado ou que foi produzido/conservado de maneira inadequada. Os alimentos mais comuns são: palmito, plicles, pequi, salsicha, presunto e queijos.

  • Botulismo por ferimentos: é uma das formas mais raras e é provocada por contaminação de ferimentos com o parasita em forma vegetativa. As principais portas de entrada são as úlceras crônicas com tecido necrótico, ou ainda aqueles ferimentos produzidos por agulhas em usuários de drogas injetáveis ou inalatórias.
  • Botulismo intestinal: ocorre quando existe a fixação e multiplicação da bactéria no ambiente intestinal. Atinge, com maior frequência, crianças com idade de 3 a 26 semanas e, por isso, foi inicialmente chamada de botulismo infantil. Em adultos, a predisposição para esse tipo de botulismo são alguns fatores como cirurgias intestinais, acloridria gástrica, doença de Crohn e/ou uso de antibióticos por tempo prolongado, que levam à alteração da flora intestinal.

O período de incubação varia de algumas horas até oito dias. A duração está diretamente associada à quantidade de toxina liberada no organismo.

Os principais sintomas são:

  • Visão dupla e embaçada
  • Fotofobia, que é aversão à luz
  • Queda da pálpebra
  • Tontura
  • Boca seca
  • Intestino preso
  • Dificuldade para dormir


À medida que a intoxicação evolui, aparecem outros sintomas como dificuldade para engolir, falar e de locomoção. O mais grave de todos os sintomas do botulismo é a paralisia dos músculos respiratórios, que pode ser fatal.

O diagnóstico da doença é feito através da análise dos sintomas, de exames de sangue e de fezes e dos alimentos que a pessoa ingeriu. Já o tratamento para o botulismo exige internação hospitalar para terapia de suporte e controle das complicações, especialmente dos problemas respiratórios, que podem ser letais.


ReferênciasPortal da Saúde
http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/oministerio/principal/secretarias/svs/botulismo

Portal da Anvisa
http://portal.anvisa.gov.br/wps/wcm/connect/478af380474576bf84a0d43fbc4c6735/manual_botulismo.pdf?MOD=AJPERES

Dr. Drauzio Varella
http://drauziovarella.com.br/crianca-2/botulismo/