>

Qualicorp explica

Pesquisar Artigos
  • Atividades aquáticas diferenciadas

  • saiba mais.
  • Publicado em: 19/02/2016 15:16

 

Algumas atividades características das salas de aula das academias - como spinning, jump e até corrida - migraram para as piscinas, sendo excelentes alternativas para alcançar a boa forma, principalmente em época de muito calor.

Muitas academias têm apostado na tendência e já oferecem, além das modalidades de atividades aquáticas mais conhecidas e tradicionais, como a natação e a hidroginástica, aulas bem diferentes como:

Aquabike - é realizada em cima de uma bicicleta feita em aço inox (à prova de oxidação). Pedalar dentro da água promove perda de peso e trabalha bem o abdômen, glúteos e pernas.

Hidrojump - com uma mini cama elástica dentro da piscina, a pessoa impulsiona o corpo com saltos. A modalidade trabalha o equilíbrio, a coordenação e melhora o sistema cardiorrespiratório.

Deep runner - é a corrida na água, mas ninguém coloca os pés no chão. O exercício simula uma corrida na parte funda da piscina, enquanto o aluno boia sustentado por um colete especial. Trabalha o sistema cardiorrespiratório e a musculatura.

As vantagens de se exercitar na água

Exercitar-se na água morna é muito mais convidativo - ainda mais no verão, época em que as atividades aquáticas costumam bombar nas academias. Outra vantagem de fazer os exercícios dentro da piscina é que a água praticamente elimina os impactos nos músculos e nas articulações.

"Uma pessoa que pesa, por exemplo, 90kg, vai pesar 9kg dentro da água. Assim, ela consegue fortalecer a musculatura sem ter muita agressão aos músculos e com um risco de lesão bem menor", afirma Ricardo José Ruck, professor de Educação Física.

Os gastos calóricos também podem ser maiores, mas tudo depende da intensidade da aula. "Uma hora de aula bem puxada de aquabike pode chegar a queimar uma média de 600 a 700 calorias", afirma Ruck.

Alguns cuidados antes de começar atividades físicas na água

Segundo o professor, essas atividades aquáticas podem ser feitas por pessoas com diferentes níveis de condicionamento, mas é importante começar aos poucos até pegar o ritmo e respeitar os próprios limites.

Além disso, deve ser feita uma avaliação física na academia para checar suas medidas e índice de gordura antes de começar qualquer atividade. Assim, a cada três meses você pode fazer uma nova avaliação para ver o quanto o treino está sendo eficiente para alcançar seus objetivos.

Mas, como em qualquer atividade física, também é fundamental passar por uma avaliação médica antes de sair malhando na água, conclui o professor Ruck.

Profissional entrevistado

Ricardo José Ruck, professor de Educação Física.

Referências
http://www.einstein.br/einstein-saude/atividadefisica/Paginas/exercicio-fisico-debaixo-dagua.aspx
http://www.mayoclinic.org/healthy-lifestyle/fitness/multimedia/aquatic-exercise/sls-20076730