>

Qualicorp explica

Pesquisar Artigos
  • Depressão pós-parto afeta 25% das mães

  • Saiba mais.
  • Publicado em: 13/05/2016 15:58

Ter um bebê pode provocar uma avalanche de emoções, como entusiasmo, alegria, medo e ansiedade. Mas também pode resultar em algo que você não espera: depressão. Uma pesquisa da Fiocruz mostrou que uma em cada quatro mulheres no Brasil sofre de depressão pós-parto. É uma doença séria e é importante conhecer os sintomas para saber quando procurar ajuda médica.

Sentir-se culpada, pensar que não ama seu bebê, que não o recebeu bem e ainda sofrer com a incompreensão de pessoas que não entendem pelo que você está passando são consequências possíveis da depressão pós-parto. A doença pode ser causada por fatores fisiológicos (alterações de hormônios) ou emocionais, muitas vezes relacionados à mudança de seu estilo de vida com a chegada da criança.

A depressão pós-parto pode ser confundida com a tristeza materna, também conhecida por baby blues, pois as duas têm alguns sintomas semelhantes, como alterações de humor, crises de choro, ansiedade e dificuldade para dormir. Muitas mães passam pela tristeza materna, que é um tipo de depressão mais leve. Normalmente, ela começa nos primeiros dois a três dias após o parto e pode durar até duas semanas. A depressão pós-parto é mais grave e duradoura.

Sintomas de depressão pós-parto

Geralmente, os sintomas de depressão pós-parto se desenvolvem nas primeiras semanas depois do nascimento do bebê. Mas eles podem aparecer até seis meses depois do parto. Os sintomas incluem:

  • Tristeza, choro excessivo ou mudanças bruscas de humor;
  • Pouco interesse nas atividades que davam prazer;
  • Dificuldade de estabelecer uma ligação com o bebê;
  • Perda ou excesso de apetite;
  • Insônia ou excesso de sono;
  • Fadiga ou perda de energia;
  • Receio de não ser uma boa mãe;
  • Sentimentos de inutilidade ou culpa;
  • Dificuldade para se concentrar ou tomar decisões;
  • Pensamentos de agressão a você mesma ou ao seu bebê.

Depressão pós-parto requer tratamento

Se não for tratada, a depressão pós-parto pode durar por muito tempo e interferir na sua capacidade de cuidar do seu bebê e de lidar com outras tarefas diárias. Por isso, é importante conseguir reconhecer que você pode estar sofrendo de depressão e procurar ajuda médica o quanto antes.

Mas não é só a mãe que pode ficar deprimida após o nascimento do bebê. O pai também pode. Se isso acontecer, ele deve receber apoio profissional.

Referências

http://portal.fiocruz.br/pt-br/content/depressao-pos-parto-acomete-mais-de-25-das-maes-no-brasil

http://www.ans.gov.br/parto-e-normal

http://www.apa.org/pi/women/resources/reports/postpartum-dep.aspx

http://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/postpartum-depression/basics/symptoms/con-20029130

Abrir