>

Qualicorp explica

Pesquisar Artigos
  • Ser portador do vírus HIV significa ter Aids?

  • Saiba mais.
  • Publicado em: 04/12/2017 15:58

Dr. Kalil Explica 04. Dez. 2017

No Brasil, mais de 827 mil pessoas vivem com o HIV, vírus que causa Aids. E uma das formas de transmissão é de mãe para filho, o que pode acontecer durante a gestação, o parto e a amamentação. Mas, as gestantes soropositivas podem ficar mais tranquilas, pois, com alguns cuidados, o risco da transmissão pode ser reduzido para menos de 5%, segundo a Organização Mundial de Saúde. Veja, a seguir, o que pode ser feito para prevenir a transmissão do HIV na gestação.

Transmissão do HIV na gestação

O acompanhamento no pré-natal, a detecção rápida da doença e o início precoce do tratamento são fatores que ajudam a diminuir o risco da transmissão de mãe para filho do HIV na gestação, a chamada transmissão vertical. Para isso, algumas medidas preventivas devem ser adotadas durante a gravidez:

 
  Ainda não possui um plano de saúde?
Clique e encontre as melhores opções para você.
 
  • Teste anti-HIV - toda gestante deve realizar o teste anti-HIV no início do pré-natal. Se o resultado for negativo, o teste deve ser repetido no terceiro trimestre de gestação;

  • Acompanhamento médico - além da obstetra, um infectologista deve acompanhar a gestação da mulher com HIV;

  • Tratamento - a gestante infectada deve realizar um tratamento com medicamentos antirretrovirais. O início do tratamento e as doses são determinados pelo médico;

  • Carga viral - a gestante com HIV deve realizar a contagem da carga viral e das células CD4 (um tipo de célula branca que faz parte do sistema imunológico) periodicamente;

  • Procedimentos invasivos - alguns procedimentos para detectar malformações fetais, como amniocentese (retirada de líquido amniótico da placenta) e biópsia do vilo corial (retirada e análise de amostra da placenta durante a gravidez), não são indicados porque aumentam o risco de infecção do bebê;

  • Hábitos saudáveis - o risco de transmitir o vírus é menor se a gestante tiver hábitos saudáveis. Há alguns fatores que aumentam a chance da transmissão, como fumar e desnutrição.

Ao seguir as medidas preventivas, as mulheres soropositivas podem ter uma gravidez tranquila, segura e com baixo risco de o bebê nascer infectado pelo HIV.

Transmissão do HIV durante o parto

O tipo de parto mais indicado para evitar a infecção do bebê pelo HIV vai depender do estado de saúde da mãe e da carga viral. Geralmente, o parto recomendado para gestantes com HIV é a cesariana. Durante o parto normal, as chances de o bebê ter contato com o sangue da mãe são muito maiores.

Transmissão do HIV durante a amamentação

A amamentação não é recomendada, pois o HIV está presente no leite materno, que deve ser substituído por fórmula infantil. Além disso, após o nascimento do bebê alguns cuidados são necessários: o recém-nascido deve receber o medicamento antirretroviral nas primeiras semanas de vida para prevenir a infecção e ser acompanhado por um médico.

Fonte: Parceiro Qualicorp

Abrir