>

Qualicorp explica

Pesquisar Artigos
  • Botox além das rugas

  • Saiba mais.
  • Publicado em: 22/05/2018 14:47

Dr. Kalil Explica 23. Mai. 2018

Muitos conhecem o efeito estético do Botox - nome comercial mais famoso da toxina botulínica, substância produzida por uma bactéria (Clostridium botulinum) e capaz de criar a paralisação temporária do músculo onde é aplicada. Mas há muito mais a conhecer.

Além dessa finalidade, no disfarce de rugas e "pés de galinha", a procura pelos benefícios terapêuticos do produto vem crescendo em outras áreas.

Já é possível, por exemplo, minimizar incômodos como a transpiração excessiva (hiperidrose) na região das axilas, pés e mãos - com efeito nos mesmos prazos de validade que a aplicação no rosto, de três a seis meses em média.

 
  Ainda não possui um plano de saúde?
Clique e encontre as melhores opções para você.
 

Conheça outras aplicações em que o procedimento apresenta resultados seguros e comprovados:

Neurologia: movimentos repetitivos, rigidez muscular, enxaqueca

A toxina age na correção das contrações involuntárias dos músculos. "É o caso do blefaroespasmo, que faz a pessoa piscar repetidamente, sem controle das pálpebras", diz Tatiane Martins de Barros, neurologista com certificação internacional para aplicação do Botox.

Outra indicação envolve casos de rigidez muscular. Geralmente, são pacientes com paralisia cerebral que têm as mãos duras e fechadas. "A pessoa não recupera o movimento, mas melhora a funcionalidade do músculo, podendo abrir a mão e sentir alívio das dores", explica.

Em 2011, o uso da toxina também foi aprovado para tratar a enxaqueca crônica. A aplicação segue o protocolo internacional, com pontos específicos ao redor da cabeça e também na cervical. "Deve-se fazer a cada três meses, por ao menos um ano. Os resultados surgem a partir da segunda ou terceira sessão", explica a neurologista.

Odontologia: bruxismo, salivação excessiva, sorriso gengival

Ainda está em vigor a liminar que impede dentistas de aplicar a toxina botulínica para fins estéticos. Os tratamentos funcionais, no entanto, continuam sendo realizados da mesma forma.

"A toxina tem ampla utilização na odontologia como recurso para corrigir o sorriso gengival, para tratar salivação excessiva e aliviar as dores causadas pelo bruxismo, relaxando a atividade muscular da mandíbula", explica Augusta Almeida, dentista capacitada em harmonização orofacial.

Além disso, o Botox pode atenuar as assimetrias faciais - como repuxamentos causados por paralisias faciais um procedimento que eleva a autoestima do paciente.

Revisão técnica

  • Prof. Dr. Max Grinberg
  • Núcleo de Bioética do Instituto do Coração do HCFMUSP
  • Autor do blog Bioamigo

Fonte: site Coração e Vida, produzido com a curadoria do cardiologista Dr. Roberto Kalil Filho.

Abrir