>

Qualicorp explica

Pesquisar Artigos
  • Picolinato pode mesmo ajudar no emagrecimento?

  • Saiba mais.
  • Publicado em: 26/07/2018 14:28

Dr. Kalil Explica 23. Jul. 2018

Substância colabora para reduzir resistência à insulina

Prescrito por médicos e nutricionistas principalmente para quem tem resistência à insulina, o picolinato de cromo traz, sim, benefícios à saúde, mas não é milagroso e não ajuda a emagrecer se não for associado a uma dieta adequada. Além disso, deve ser sempre prescrito por um profissional da saúde, nas doses adequadas.

De acordo com Paula Hertel, nutricionista do Hospital Sírio Libanês, o picolinato de cromo ajuda a melhorar a sensibilidade à insulina, que é deficiente em quem tem glicemia muito elevada, por longos períodos.

"Quando falamos que a pessoa tem resistência à insulina, é que ela tem glicemia alta com tanta frequência, que a insulina tem dificuldade de desenvolver o seu papel, que é de tirar a glicose do sangue e colocar dentro das células", explica.

 
  Ainda não possui um plano de saúde?
Clique e encontre as melhores opções para você.
 

Para ser seguro, deve ser prescrito na dosagem correta por um médico ou nutricionista. O picolinato de cromo pode ajudar a melhorar a compulsão por doces, além de contribuir - somente se for associado a uma dieta adequada ao perfil da pessoa - para o emagrecimento.

Paula Hertel também lembra que diabéticos que tomam medicamentos para baixar a glicemia não devem tomar picolinato de cromo, sob o risco de ter hipoglicemias. Além disso, nunca se deve tomar o mineral em jejum, pela mesma chance de baixar demais a glicemia.

Alimentos também são fontes de cromo

O picolinato de cromo nada mais é do que a forma farmacêutica do cromo, mineral encontrado em muitos alimentos, como brócolis, maçã, cogumelos, espinafre, uva, ameixa, entre outros. Uma dieta adequada já supre a necessidade diária desse mineral. Paula ressalta que não é comum ter deficiência de cromo, já que ele é facilmente encontrado em alimentos do dia a dia, mas que quando há, a pessoa pode ter prejuízo no metabolismo da glicose, bem como fadiga.

Revisão técnica

  • Prof. Dr. Max Grinberg
  • Núcleo de Bioética do Instituto do Coração do HCFMUSP
  • Autor do blog Bioamigo
Abrir