>

Qualicorp explica

Pesquisar Artigos
  • Síndrome de burnout ou esgotamento profissional

  • Saiba mais.
  • Publicado em: 05/09/2018 10:16

A síndrome de burnout, ou síndrome do esgotamento profissional, é um distúrbio psíquico que atinge cerca de 30% dos trabalhadores brasileiros. A principal característica é o estado de tensão emocional e estresse crônicos provocados por condições desgastantes de trabalho. Se você se identifica, continue a leitura para saber mais sobre as causas e consequências da síndrome de burnout.

Sinais e sintomas da síndrome de burnout

Os sinais e sintomas principais para identificar a síndrome é sentir-se estressado e sobrecarregado com tarefas rotineiras de trabalho, apresentar queixas físicas e emocionais, como dores, mal-estar, tristeza, agitação e sentimento de incapacidade. Veja outros sinais e sintomas da síndrome de burnout:

  • Isolamento social;
  • Uso de ironia, sarcasmo e descrença ao tratar colegas e clientes do trabalho;
  • Cansaço físico e emocional constante;
  • Sentimento de culpa;
  • Dificuldade em se desligar do trabalho.

Se o estresse durar por semanas, meses ou mesmo anos, haverá consequências duradouras para o organismo. O estresse crônico, denunciado pelo alto nível do hormônio cortisol, debilita o sistema imunológico e o corpo fica mais suscetível às infecções. Além disso, a síndrome de burnout pode ser incapacitante e, quando instalada, pode exigir que o profissional seja deslocado de sua função.

 
  Ainda não possui um plano de saúde?
Clique e encontre as melhores opções para você.
 

Quais são as causas da síndrome de burnout?

Como se apresenta: O problema pode ser descrito como o fato de se estar triste, infeliz, melancólico. Mas vai além disso. Às vezes, existem motivos para a depressão; às vezes, não. A maioria das pessoas sente depressão ao menos uma vez na vida, quase sempre em períodos curtos. Já a depressão clínica é um transtorno que se mantém ao longo do tempo e que modifica o estado de ânimo. Esse quadro de emoção anormal se revela quando uma pessoa passa mais de 15 dias de tristeza seguidos e por boa parte do tempo. É classificada em termos de gravidade: leve, moderada ou severa. Um médico psiquiatra pode determinar o nível e recomendar o tratamento correto.

Somente a jornada semanal de trabalho não causa a síndrome de burnout se for encontrado o equilíbrio entre períodos de tensão e relaxamento. O esgotamento profissional é mais comum em profissionais frustrados em relação ao desempenho nas tarefas ou com alto grau de expectativa quanto a gratificação, seja financeira ou não. As causas da síndrome de burnout também podem ser:

  • Excesso de trabalho;
  • Dificuldade em lidar com as situações de pressão e estresse;
  • alta de reconhecimento, de apoio da equipe e/ou da família, de justiça (sentimento de injustiça).

As pessoas que ficam cada vez mais desmotivadas e estressadas quando vão para o trabalho devem prestar atenção na rotina. Pois, quem é afetado pela síndrome é, muitas vezes, o último a perceber a situação em que se encontra e pode relutar em buscar ajuda profissional.

Consequências da síndrome de burnout

É preciso levar a sério sinais, como falta de vontade, cansaço e exaustão, principalmente quando persistirem. Se a síndrome de burnout for ignorada, as consequências podem ser:

  • Estresse excessivo;
  • Fadiga;
  • Insônia;
  • Negativismo em relacionamentos pessoais;
  • Depressão;
  • Ansiedade;
  • Abuso de álcool ou outras substâncias químicas;
  • Doença cardíaca;
  • Colesterol alto;
  • Diabetes tipo 2 (especialmente em mulheres);
  • Obesidade;
  • Vulnerabilidade a doenças.
  • É preciso buscar ajuda de um profissional e tratamento para que as consequências da síndrome de burnout não sejam mais agressivas e permanentes.

Tratamento para síndrome de burnout

O tratamento para síndrome de burnout foca na diminuição dos sintomas e retomada da qualidade de vida. Veja os tipos tratamento disponíveis:

  • Terapia - psicólogos podem ajudar no enfrentamento do estresse no trabalho;
  • Medicamentos - o psiquiatra pode indicar antidepressivos e ansiolíticos, que diminuem a sensação de incapacidade e inferioridade;
  • Exercícios físicos - aulas de dança, teatro ou yoga em grupo, por exemplo, promovem uma troca de experiências e convívio social, podendo ser muito importantes para o alívio do estresse.

Não ignore os sinais e sintomas da síndrome de burnout. Consulte o médico para identificar ou descartar quaisquer outros problemas de saúde.

Fonte: parceiro Qualicorp.

Abrir