>

Qualicorp explica

Pesquisar Artigos
  • Anorexia: Sintomas e Tratamentos

  • Saiba mais.
  • Publicado em: 24/10/2018 11:40

Dr. Kalil Explica 23. Out. 2018

Os dados sobre o assunto são escassos, mas é fato que a anorexia passou a ser discutida, de uma forma mais intensa, na última década. Não que o transtorno alimentar não ocorresse antes - mas passou a ter mais visibilidade graças a filmes, novelas e também aos depoimentos de artistas que revelaram sua luta contra a doença.

De acordo com Cláudia Cozer Kalil, endocrinologista e coordenadora do Núcleo de Obesidade e Transtorno Alimentar do Hospital Sírio-Libanês, é difícil apontar, de forma científica, se houve um aumento no número de casos de anorexia nos últimos anos devido à ausência de estatísticas bem definidas.

"No entanto, o diagnóstico dessa patologia ficou mais fácil com os novos manuais médicos, assim como a detecção do quadro ficou mais precoce", esclarece. Em seu consultório, a médica diz receber cada vez mais portadores do transtorno nos últimos anos.

 
  Ainda não possui um plano de saúde?
Clique e encontre as melhores opções para você.
 

Tratamento e diagnóstico
Cláudia explica que um dos principais problemas da anorexia é que o próprio paciente não se sente doente (e recusa a ajuda médica na maioria dos casos). Dessa forma, ao notar sinais do transtorno em um familiar, o recomendável é propor uma avaliação clínica com um endocrinologista.

"É necessário conversar para a pessoa entender que se trata de um distúrbio, no qual ela sofre com a relação que tem com a comida (e com seu corpo), e que a situação foge do controle pessoal", explica.

Dessa forma, após o diagnóstico, o tratamento contempla um acompanhamento multidisciplinar. Envolve, portanto, um endocrinologista, um nutricionista, um psicólogo e um psiquiatra, a depender da gravidade do caso.

"Existem medicamentos específicos para alguns casos, porque além da anorexia, o paciente também pode apresentar outros transtornos psiquiátricos - transtorno de personalidade boderline, alteração do humor, ansiedade etc.", completa.

Mitos e sintomas reais
Se o aumento na exposição do transtorno ajudou a ampliar a discussão sobre a anorexia, ao mesmo tempo acabou contribuindo para o surgimento de alguns mitos. Entre eles, a ideia de que apenas mulheres desenvolvem anorexia.

Segundo a endocrinologista, ainda que o gênero feminino responda pela maior parte das ocorrências, o número de casos no sexo masculino também vem aumentando.

Além disso, criou-se o conceito de que a anorexia ocorre apenas na adolescência. Trata-se de outro erro: o transtorno também pode aparecer na fase adulta, especialmente em indivíduos entre 35 e 40 anos.

Outro problema relacionado à doença está no fato de o transtorno, em alguns casos, não apresentar sintomas, dificultando o diagnóstico. Ainda assim, segundo a médica do Sírio-Libanês, alguns pacientes relatam falta de menstruação, queda de cabelo, unhas fracas, falta de energia e carência de vitaminas.

Como é difícil que o próprio paciente perceba sua real condição, cabe aos familiares ficarem atentos a alguns sinais que podem indicar a presença do transtorno - e procurar um especialista para diagnóstico correto.

Abaixo, alguns sntomas que indicam a presença da anorexia:

  • Perda de peso;
  • Isolamento social;
  • Recusa alimentar;
  • Muita preocupação com o que vai comer e com o corpo;
  • Uso de "artimanhas" na hora da refeição para disfarçar a baixa ingestão de alimentos.

Revisão técnica

  • Prof. Dr. Max Grinberg
  • Núcleo de Bioética do Instituto do Coração do HCFMUSP
  • Autor do blog Bioamigo
Abrir