Gripe H1N1: como se prevenir?

Compartilhe:
FacebookTwitterWhatsAppLinkedInShare

A gripe H1N1 é uma mutação genética da gripe comum, combinada com a gripe aviária e a gripe suína. Em 2009, se espalhou por diversos países e foi considerada uma pandemia, mas ainda faz vítimas todos os anos. Apesar de ter sintomas parecidos com os da gripe comum, ela causa complicações que podem levar à morte. Por isso, é importante saber como se prevenir e identificar os principais sintomas para buscar ajuda médica o quanto antes.

Por que a transmissão da gripe H1N1 é maior no frio?

O tempo frio em si não é responsável pela transmissão de doenças virais. Mas, é nessa época do ano que as pessoas tendem a ficar aglomeradas em lugares fechados, sem ventilação, aumentando os riscos de contágio.

Além disso, pessoas com alergias respiratórias que desencadeiam episódios de asma, rinite e bronquite, sofrem mais com o ar seco e com cobertores e casacos guardados há muito tempo. Esse grupo também é mais suscetível a complicações respiratórias geradas pela gripe H1N1 e outros tipos.

Como acontece a transmissão da gripe H1N1 e quais os grupos de risco?

A transmissão da gripe H1N1 acontece da mesma forma que a gripe comum. Os vírus passam de pessoa para pessoa por meio de tosse, espirro ou contato com saliva e objetos contaminados. É possível contrair a doença ao encostar a mão em uma superfície contaminada e depois levar à boca ou nariz, por exemplo.

O principal fator de risco é o contato com pessoas infectadas, mas, algumas coisas podem aumentar a gravidade da infecção pelo H1N1:

  • Idade menor de dois anos e maior que 65 anos;
  • Mulheres grávidas;
  • Pessoas com doenças pulmonares, cardíacas, renais, hepáticas ou sanguíneas;
  • Portadores de HIV ou pessoas que tomam medicamentos imunossupressores;
  • Estar internado;
  • Obesidade;
  • Pessoas com menos de 19 que tomaram aspirina por longo prazo.

Sinais e sintomas da gripe H1N1 podem ser confundidos com os da gripe comum

Os sintomas da gripe H1N1 demoram de três a sete dias para aparecer depois que você foi exposto ao vírus. Eles são muito parecidos aos de uma gripe comum:

  • Febre alta repentina;
  • Tosse;
  • Dor de cabeça e no corpo;
  • Garganta inflamada;
  • Coriza.
  • Olhos lacrimejantes;

A diferença é que os sintomas da gripe H1N1 podem se manifestar de forma mais intensa e causar danos maiores ao sistema respiratório e até levar à morte caso você não procure ajuda médica a tempo. Fique atento aos sinais de complicação:

Em adultos:

  • Falta de ar;
  • Os sintomas desapareceram e depois voltaram mais intensos e com febre alta;
  • Dor no peito ou abdômen;
  • Vômito intenso ou incessante;
  • Confusão;
  • Tontura;
  • Escarro com sangue.

Em crianças:

  • Dificuldade para respirar;
  • Pele azulada ou acinzentada;
  • Vômito intenso;
  • Dificuldade para acordar;
  • Erupção cutânea;
  • Falta de atenção e de vontade de brincar;
  • Os sintomas desapareceram e depois voltaram mais intensos e com febre alta;
  • Irritabilidade excessiva.

Se suspeitar que você ou alguém próximo está com a doença, procure atendimento médico imediatamente, mas nunca tome ou dê medicamentos por conta própria. Se o diagnóstico for confirmado, o tratamento é feito com o uso de medicamento antiviral.

Medidas de prevenção para o H1N1

A vacina disponível contra a gripe também previne o H1N1 e deixa imune contra a doença por um ano. Ela é oferecida pelo sistema único de saúde (SUS) todo ano, entre os meses de abril e maio, para os seguintes grupos:

  • Trabalhadores da saúde;
  • Povos indígenas;
  • Puérperas (mulheres até 45 dias após o parto);
  • Idosos;
  • Professores de escolas públicas e privadas;
  • Pessoas com doenças crônicas ou imunidade baixa;
  • Jovens sob medidas socioeducativas;
  • Funcionários do sistema prisional;
  • Pessoas privadas de liberdade;
  • Profissionais das forças de segurança e salvamento (policiais, bombeiros e membros ativos das Forças Armadas).

Além da vacinação anual, é importante adotar algumas medidas de higiene para evitar a infecção por qualquer gripe – tanto a comum quanto a H1N1:

  • Cubra o nariz e a boca com um lenço de papel quando tossir ou espirrar e depois jogue o lenço no lixo;
  • Lave as mãos com água e sabão com frequência. Passar álcool gel nas mãos também é eficiente;
  • Evite tocar seus olhos, nariz ou boca, pois os germes se espalham dessa maneira;
  • Sempre que possível, evite aglomerações ou locais pouco arejados;
  • Evite contato próximo com pessoas doentes.

   

Fonte: parceiro Qualicorp.

Abrir

Compartilhe:
FacebookTwitterWhatsAppLinkedInShare

Central de Serviços

Consultas, solicitações e informações sobre seu plano.

Baixe nosso aplicativo

Boletos, Demonstrativo de IR, carteirinha e atendimento de um jeito prático.

Serviços úteis para você ter mais agilidade e segurança ao usar seu plano de saúde

Atendimento digital

Se preferir adicione (11) 4004-4400 no seu celular.

Dúvidas frequentes

Clique aqui e acesse as dúvidas mais comuns de nossos clientes.

Atendimento por telefone

Segunda a sexta: 7h às 22h

Sábados: 8h às 14h (exceto feriados)

4004-4400

(Capitais e regiões metropolitanas)

0800 16 2000

(Demais regiões)

SAC

Reclamações, cancelamentos e informações sobre a Qualicorp, 24h por dia, todos os dias.

Vendas

Comercialização de planos de saúde para você ou para sua empresa.

Para você

Planos de saúde para categorias profissionais.

Se preferir adicione (11) 3178-4000 no seu celular.

ou ligue para:

(11) 3178-4000

(São Paulo)

0800 777 4004

(Demais regiões)

Para Sua Empresa

Soluções para empresas de todos os tamanhos

Empresas até 199 vidas (PME Qualicorp)

Solicite uma cotação:

Segunda a sexta: 9h às 18h
Para saber mais sobre as soluções PME, clique aqui.

Empresarial

Segunda a sexta: 7h às 22h

(11) 3146-1012

Para solicitar uma cotação ou conhecer melhor as soluções da Qualicorp para benefícios corporativos, clique aqui.