Muita atenção com os alimentos da moda

Compartilhe:
FacebookTwitterWhatsAppLinkedInShare

Existe apenas um ingrediente que não pode faltar a qualquer dieta ou método de alimentação escolhido por um indivíduo: a consciência. Apostar no “ouvi dizer” sem informações reais e embasadas, colhidas sem um profissional de nutrição envolvido, é brincar com a própria saúde. Isso começa, também, por saber mais sobre os alimentos que (tanta gente aposta) são saudáveis.

Para início de conversa, os alimentos, todos eles, devem sempre ser considerados a partir de um contexto – levando em conta os hábitos de vida das pessoas e o histórico de saúde de cada um. Consultar um especialista em nutrição para mudar uma dieta, por exemplo, é essencial porque é ele quem pode definir, com essa avaliação individual, as melhores opções e quantidades dentro das necessidades e da rotina de cada pessoa.

É isso o que explica a nutricionista do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, Marcela Taleb Haddad. Conversamos com ela a respeito de certos ingredientes que, em especial, acabam sendo vistos como “infalíveis” na busca pela alimentação saudável – mas que, como todos, demandam mais informações antes de sair consumindo diariamente.

Azeite e abacate, os “queridinhos” do momento

Como muitos estudos já mostraram, tanto o azeite de oliva quanto o abacate possuem propriedades benéficas como as gorduras monoinsaturadas capazes de reduzir os níveis de LDL (conhecido como o “mau colesterol”) do sangue. Além disso, possuem vitamina E e antioxidantes, capazes de combater os radicais livres. “Mas, apesar de seus efeitos benéficos, temos que consumir tais alimentos com moderação, pois são fontes de gorduras e possuem alto valor calórico”, lembra Marcela. Ou seja: o consumo em excesso pode provocar ganho de peso. A indicação de consumo é individualizada, variando de acordo com as recomendações nutricionais de gordura total na alimentação diária de cada pessoa.

As frutas e o açúcar

As frutas possuem seu açúcar próprio, que é a frutose. Mas também apresentam vitaminas, minerais e fibras, que são essenciais para o bom funcionamento das reações do organismo. O alerta: se consumidas em excesso e em um mesmo horário, as frutas podem aumentar a glicemia. “O ideal é que a porção consumida seja equivalente a um punho de mão fechada ou uma palma da mão, e que não seja ultrapassada a quantidade de uma porção por refeição”, explica a nutricionista. A recomendação é de aproximadamente três porções por dia – e de frutas com cores variadas, para garantir maior variedade de nutrientes.

Granola: parece boazinha, mas desconfie dela

Muitas pessoas consomem a granola acreditando ser um alimento saudável e com alto teor de fibras; muita gente também não se atenta de que a maioria dos produtos comercializados possui adição de açúcar, além de mel e uvas passas, o que os tornam ainda mais calóricos. Além disso, nem todos possuem quantidade significativa de fibras. O ideal é sempre olhar o rótulo dos produtos para analisar a composição, optando pela granola sem açúcar ou até mesmo prepará-la em casa com grãos integrais. “A granola deve ser consumida não como adição nas refeições, mas como substituição ao carboidrato do café da manhã ou lanches intermediários”, explica Marcela. A quantidade também deve ser moderada, porque mesmo sem adição de açúcar e outros itens, o consumo em excesso pode contribuir para o ganho de peso.

Não passe da conta com as castanhas

As oleaginosas, assim como o abacate e o azeite, são fontes de gordura monoinsaturada – e alimentos importantes para a prevenção de doenças cardiovasculares, por exemplo. Mas a castanha de caju também deve ser consumida com moderação, pois é um alimento calórico. E a porção é restrita: o ideal é não ultrapassar de 5 a 7 unidades por dia (mas, de novo, a indicação varia de acordo com a recomendação de gordura para cada indivíduo). Existe também a questão do teor de sódio: preferir a castanha de caju sem adição de sal na hora de comprar é a melhor escolha.

Mas é só um biscoitinho água e sal…

É verdade, os biscoitos tipo cream cracker, muito adotados por quem faz dieta, parecem inofensivos. Mas a maioria das marcas à venda, além de sódio, possuem açúcar e gordura vegetal em sua composição. “Existem opções melhores para consumir nos lanches intermediários, como o biscoito de arroz integral, as frutas frescas ou secas, as castanhas ou o iogurte desnatado”, diz a especialista.

O dilema da tapioca

A tapioca tem sido utilizada nas dietas da moda por não ter glúten, sal e gordura hidrogenada. Ela é, de fato, uma boa opção para pessoas com doença celíaca ou com intolerância ao glúten. Porém, o seu índice glicêmico é muito elevado. Ou seja: diferente do que ocorre com os cereais integrais, ela se transforma rapidamente em açúcar no sangue. “Pessoas com diabetes e com necessidade de perda de peso devem consumir com muita atenção, porque além do alto índice glicêmico, normalmente a quantidade de farinha utilizada para fazer uma porção de tapioca é bastante elevada”, frisa Marcela. O ideal é controlar a quantidade de farinha no momento do preparo e acrescentar semente de linhaça, chia ou farelo de aveia na massa para reduzir a velocidade de transformação do carboidrato em açúcar. É necessário atentar-se também ao recheio; atum ou queijos magros, como branco, ricota ou cottage, são boas opções. Tudo, novamente, muito bem instruído por um nutricionista que conheça bem a sua história alimentar.

Revisão técnica

  • Por Thassio Borges
  • Prof. Dr. Max Grinberg
  • Núcleo de Bioética do Instituto do Coração do HCFMUSP
  • Autor do blog Bioamigo

Fonte: site Coração e Vida, produzido com a curadoria do cardiologista Dr. Roberto Kalil Filho.

Abrir

Compartilhe:
FacebookTwitterWhatsAppLinkedInShare

Central de Serviços

Consultas, solicitações e informações sobre seu plano.

Baixe nosso aplicativo

Boletos, Demonstrativo de IR, carteirinha e atendimento de um jeito prático.

Serviços úteis para você ter mais agilidade e segurança ao usar seu plano de saúde

Atendimento digital

Se preferir adicione (11) 4004-4400 no seu celular.

Dúvidas frequentes

Clique aqui e acesse as dúvidas mais comuns de nossos clientes.

Atendimento por telefone

Segunda a sexta: 7h às 22h

Sábados: 8h às 14h (exceto feriados)

4004-4400

(Capitais e regiões metropolitanas)

0800 16 2000

(Demais regiões)

SAC

Reclamações, cancelamentos e informações sobre a Qualicorp, 24h por dia, todos os dias.

Vendas

Comercialização de planos de saúde para você ou para sua empresa.

Para você

Planos de saúde para categorias profissionais.

Se preferir adicione (11) 3178-4000 no seu celular.

ou ligue para:

(11) 3178-4000

(São Paulo)

0800 777 4004

(Demais regiões)

Para Sua Empresa

Soluções para empresas de todos os tamanhos

Empresas até 199 vidas (PME Qualicorp)

Solicite uma cotação:

Segunda a sexta: 9h às 18h
Para saber mais sobre as soluções PME, clique aqui.

Empresarial

Segunda a sexta: 7h às 22h

(11) 3146-1012

Para solicitar uma cotação ou conhecer melhor as soluções da Qualicorp para benefícios corporativos, clique aqui.