>

Qualicorp explica

Pesquisar Artigos
  • Problemas respiratórios causadas por vírus e bactérias

  • Saiba mais.
  • Publicado em: 20/02/2020 11:55

Saúde e Bem-Estar 20. Fevereiro 2020

As doenças respiratórias causadas por vírus e bactérias podem causar complicações quando não são tratadas ou detectadas rapidamente, principalmente em pessoas que já possuem algum problema respiratório, como asma ou bronquite, ou imunossuprimidos. Nos últimos anos, a transmissão de vírus causadores de infecções respiratórias, como o vírus Influenza A e o novo coronavírus, têm preocupado agentes da saúde do mundo todo.

Saiba como se prevenir e identificar possíveis sinais e sintomas das principais doenças infecciosas respiratórias:

 
  Ainda não possui um plano de saúde?
Clique e encontre as melhores opções para você.
 

Gripe H1N1

A gripe H1N1 é uma mutação genética da gripe comum, combinada com a gripe aviária e a gripe suína. Os vírus passam de pessoa para pessoa por meio da tosse, espirro ou contato com saliva e objetos contaminados. É possível contrair a doença ao encostar a mão em uma superfície contaminada e depois levar à boca ou nariz, por exemplo.

Principais sinais e sintomas da gripe H1N1:

Eles demoram de três a sete dias para aparecer depois que você foi exposto ao vírus e são parecidos com os de uma gripe comum:

  • Febre alta repentina;
  • Tosse;
  • Dor de cabeça e no corpo;
  • Garganta inflamada;
  • Coriza;
  • Olhos lacrimejantes.

Depois de um tempo, os sinais e sintomas podem se intensificar e até levar a morte caso não procure ajuda médica. As complicações incluem:

  • Os sintomas desapareceram e depois voltaram mais intensos e com febre alta;
  • Dor no peito ou abdômen;
  • Vômito intenso ou incessante;
  • Confusão mental;
  • Tontura;
  • Falta de ar;
  • Escarro com sangue.

Formas de prevenção contra a gripe H1N1:

A forma mais garantida de se proteger contra a gripe H1N1 é por meio da vacinação, que também protege contra a gripe e tem a duração de um ano. O SUS oferece a vacina todo ano, entre os meses de abril e maio, para grupos prioritários, que incluem:

  • Trabalhadores da saúde;
  • Povos indígenas;
  • Puérperas (mulheres até 45 dias após o parto);
  • Idosos;
  • Professores de escolas públicas e privadas;
  • Pessoas com doenças crônicas ou imunidade baixa;
  • Jovens sob medidas socioeducativas;
  • Funcionários do sistema prisional;
  • Pessoas privadas de liberdade;
  • Profissionais das forças de segurança e salvamento (policiais, bombeiros e membros ativos das Forças Armadas).

Além da vacinação, alguns cuidados de higiene evitam a transmissão não só da gripe H1N1, mas também de outros vírus causadores de doenças respiratórias.

  • Cubra o nariz e a boca com um lenço de papel quando tossir ou espirrar e depois jogue o lenço no lixo;
  • Lave as mãos com água e sabão com frequência. Passar álcool gel nas mãos também é eficiente;
  • Evite tocar seus olhos, nariz ou boca, pois os germes se espalham dessa maneira;
  • Sempre que possível, evite aglomerações ou locais pouco arejados;
  • Evite contato próximo com pessoas doentes.

Pneumonia

Há vários tipos de pneumonia, mas a mais comum é causada pela bactéria Streptococcus pneumoniae, que também pode ser uma das causas da sinusite. A pneumonia é transmitida de pessoa para pessoa. Muitos carregam essa bactéria nas mucosas da garganta e do nariz. Um espirro ou tosse com a boca descoberta pode ser o suficiente para infectar outra pessoa. A doença se desenvolvem quando a bactéria se multiplica no corpo, por uma incapacidade do sistema imunológico de combater o "invasor".

Principais sinais e sintomas da pneumonia:

  • Tosse com catarro;
  • Febre alta (a partir de 38 graus);
  • Falta de ar;
  • Dor no peito;
  • Respiração acelerada;
  • Sensação de cansaço.

Os sinais e sintomas, ao contrário da gripe, só pioram com o passar do tempo. Caso persistam por mais de três ou quatro dias, procure orientação médica.

Fomas de prevenção contra a pneumonia:

A vacina pneumocócica-13 protege o corpo contra 13 sorotipos da bactéria Streptococcus pneumoniae.O SUS distribui a vacina para crianças e adolescentes de seis semanas a 17 anos de idade, adultos de 50 anos ou mais e pessoas com HIV, pacientes oncológicos ou que passaram por algum transplante. Além da vacina, outras medidas ajudam a diminuir as chances de transmissão e contágio da pneumonia:

  • Higienize as mãos com sabão ou álcool em gel várias vezes ao dia quando estiver em locais com maior risco de exposição, como locais públicos e hospitais;
  • Não fume, pois o hábito prejudica a capacidade do pulmão em filtrar micro-organismos e se defender deles;
  • Alimente-se de forma saudável, pratique exercícios físicos e durma o suficiente para fortalecer o sistema imunológico;
  • Se tiver com sintomas de pneumonia, limite o contato próximo com outras pessoas;
  • Cubra sempre o nariz e a boca ao tossir ou espirrar;
  • Evite contato próximo e não compartilhe objetos com pessoas que estejam com sintomas de pneumonia;
  • Se possível, evite locais fechados e aglomerações;

Bronquiolite

Comum em crianças pequenas, a bronquiolite é uma infecção respiratória que atinge o nariz, garganta, traqueia e bronquíolos causada pelo vírus sincicial respiratório (VCR). A contaminação acontece quando a secreção de alguém com o vírus entra em contato com as mucosas de outra pessoa. Isso pode acontecer quando a pessoa tosse ou fala muito próximo de outra que não foi contagiada. Ou, até, se a que não está contaminada pega um objeto que a outra encostou e contaminou.

Principais sinais e sintomas da bronquiolite

  • Nariz escorrendo;
  • Tosse leve;
  • Febre;
  • Chiado no peito e dificuldade para respirar.

Depois de um ou dois dias, a tosse pode piorar e a respiração fica mais rápida e difícil. Não há medicamentos para tratar a bronquiolite, mas existem formas de aliviar os sintomas, por exemplo, usando inaladores.

Formas de prevenção contra a bronquiolite

  • Evite expor a criança a fumaça de cigarro, pois pode irritar as vias aéreas e deixá-las suscetíveis a infecções;
  • Incentive a manutenção do aleitamento materno, que fortalece o sistema imunológico da criança;
  • Evite o contato da criança com pessoas com infecção respiratória aguda;
  • Caso a criança apresente sintomas de bronquiolite, não a mande à escola ou creche;
  • Crianças a partir de seis meses devem tomar a vacina da gripe, distribuída anualmente pelo SUS.

Tuberculose

É causada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis e seu contágio acontece por meio da tosse, espirro e gotículas que a pessoa infectada pode espalhar. É uma doença grave e pode levar à morte se não tratada.

Principais sinais e sintomas da tuberculose

  • Tosse seca ou com secreção por mais de três semanas;
  • Febre;
  • Cansaço;
  • Perda de peso;
  • Sudorese noturna.

Logo nas primeiras semanas de tratamento, o paciente se sente melhor mas precisa realizar o tratamento até o final, independentemente da melhora. Caso contrário, corre o risco de complicar a doença e torná-la resiste aos medicamentos.

Formas de prevenção contra a turberculose

Em crianças, a forma mais segura de prevenção contra a turberculose é a vacina BCG, distribuída pelo SUS, que deve ser tomada ao nascer ou, no máximo, antes de completar cinco anos. Outras formas de prevenir a tuberculose são:

  • Manter ambientes bem ventilados e com entrada da luz solar;
  • Caso tenha contato direto com pessoas infectadas, como em casa ou no trabalho, é possível fazer a prevenção secundária com um dos medicamentos que tratam a tuberculose. Para isso, é preciso a avaliação de um médico.

Fonte: parceiros Qualicorp.

Abrir