>

Qualicorp explica

Pesquisar Artigos
  • Câncer de mama: conheça os exames preventivos

  • Saiba mais.
  • Publicado em: 31/10/2017 16:29

Saúde e Bem-Estar 31. Out. 2017

O câncer de mama tem até 95% de chance de cura se diagnosticado precocemente. Isso é possível com a realização dos diversos tipos de exames de mama que detectam o câncer, como a mamografia e a ultrassonografia.

Atualmente, mais de 12 mil mulheres morrem por ano no Brasil em decorrência do câncer de mama, o que representa 2,5% da mortalidade feminina no país, segundo a Sociedade Brasileira de Mastologia. Os exames ajudam a detectar os primeiros sinais de câncer e a tratar antes que a doença se agrave. Veja quais são os tipos de exames de mama necessários:

Autoexame da mama

O autoexame da mama é importante para perceber qualquer alteração nas mamas e, se necessário, consultar o médico. Embora o autoexame seja importante para detectar o câncer de mama, ele não ajuda no diagnóstico precoce da doença. Isso porque um tumor na mama só é detectável no autoexame quando o nódulo tem mais de 2 cm.

 
  Ainda não possui um plano de saúde?
Clique e encontre as melhores opções para você.
 

Exame clínico da mama

Semelhante ao autoexame, o exame clínico da mama é feito pelo ginecologista por meio da palpação da mama para identificar nódulos e outras alterações. Porém, não é um exame muito preciso e, por isso, o médico pede outros exames de imagem como mamografia. A consulta ginecológica deve ser realizada uma vez ao ano, no mínimo.

Mamografia

A mamografia é o principal exame para detecção precoce do câncer de mama. A recomendação do INCA (Instituto Nacional do Câncer) é que mulheres entre 50 e 69 anos façam uma mamografia a cada dois anos. Por meio desse método, é possível identificar tumores mesmo antes de serem detectáveis clinicamente. Mulheres com risco elevado para câncer de mama devem conversar com o médico para decidir a conduta a ser adotada.

Ultrassonografia das mamas

A ultrassonografia das mamas pode servir como complemento à mamografia, pois analisa tecidos mamários e permite obter informações sobre os nódulos e as lesões de forma mais precisa. Os médicos muitas vezes usam o ultrassom para guiar o posicionamento de uma agulha de biópsia.

Ressonância magnética

A ressonância magnética é recomendada para o rastreamento apenas em populações de alto risco, como pacientes com histórico familiar, pacientes predispostas geneticamente ao câncer ou pacientes que já tiveram um primeiro câncer de mama.

Biópsia das mamas

Quando a mamografia ou ultrassom encontram alterações suspeitas, é recomendada uma biópsia das mamas, que é a remoção de uma pequena quantidade de tecido para avaliação da presença, ou não, de câncer. Se células cancerosas estão presentes, a biópsia mostrará o tipo de câncer de mama a que corresponde. Este procedimento pode ser feito com agulhas ou por meio de uma pequena cirurgia.

Além destes tipos de exames de mama, toda mulher deve realizar um check-up anual para a prevenção de várias doenças, entre elas, o câncer de mama. É importante lembrar que a mulher com fatores de risco, como histórico familiar da doença, deve conversar com o médico para avaliar a particularidade do caso e definir a melhor conduta a seguir.

Fonte: parceiro Qualicorp

Abrir