Displasia mamária não é câncer

Compartilhe:
FacebookTwitterWhatsAppLinkedInShare

Conhecida no meio médico como alterações funcionais benignas da mama (AFBM), a displasia mamária é uma irritação – não é uma doença – que causa retenção de líquido da mama e aumento da quantidade do tecido de sustentação. Essa alteração torna as mamas femininas mais sensíveis e cheias de pequenos nódulos endurecidos e dolorosos, na maioria dos casos na fase pré-menstrual.
O importante é que o incômodo não induz e nem se transforma em câncer da mama, podendo desaparecer espontaneamente. Algumas mulheres podem se assustar sentindo os pequenos caroços, mas a displasia é uma alteração funcional e comum dos seios.

Outras alterações perceptíveis são o aumento no volume da mama com o aparecimento de nodulações próximas às axilas e a formação de cistos, que são cavidades fechadas onde se acumulam líquido, causando dor e sensibilidade dos nervos.

Os pequenos nódulos são facilmente identificáveis em exames de ultrassonografia e mamografia – solicitada após os 35 anos –, para esclarecer o diagnóstico e até mesmo afastar uma doença maligna. A displasia mamária atinge cerca de 70% das mulheres na faixa etária entre os 25 anos até a menopausa e podem ser acentuadas dependendo das características emocionais e teor hormonal.
Apesar de ser uma disfunção normal do corpo, a displasia precisa ser avaliada e cuidada. Geralmente, o tratamento é feito com medicamentos específicos prescritos pelo mastologista, dependendo do conjunto dos sintomas e da intensidade do caso para cada mulher.

Não há, na maioria das vezes, necessidade de cirurgia. Para aliviar o desconforto, há o esvaziamento dos cistos formados com o procedimento simples de punção – aspiração do líquido dentro da mama.

Para minimizar o desconforto mamário:
– Banhos mornos aliviam a dor. Faça compressas com bolsa de água morna ou na hora do banho, deixe a água cair devagar sobre as mamas.
– Pratique regularmente exercícios físicos.
– Reduza o consumo de sal, doces, refrigerantes e cafeína.
– Faça a ingestão de alimentos ricos em vitamina E (soja, espinafre, ovos, alface, rúcula, espinafre e cereais) para diminuir a dor nas mamas; para a eliminação de líquidos consuma morango, melão, melancia, alcachofra, agrião e para reduzir o inchaço devore figos, amêndoas, bananas e frutos do mar.

Fontes:

Sociedade Brasileira de Mastologia
Biblioteca Virtual em Saúde (Ministério da Saúde)
Lance Armstrong Foundation

 

 

Compartilhe:
FacebookTwitterWhatsAppLinkedInShare

Central de Serviços

Consultas, solicitações e informações sobre seu plano.

Baixe nosso aplicativo

Boletos, Demonstrativo de IR, carteirinha e atendimento de um jeito prático.

Serviços úteis para você ter mais agilidade e segurança ao usar seu plano de saúde

Atendimento digital

Se preferir adicione (11) 4004-4400 no seu celular.

Dúvidas frequentes

Clique aqui e acesse as dúvidas mais comuns de nossos clientes.

Atendimento por telefone

Segunda a sexta: 7h às 22h

Sábados: 8h às 14h (exceto feriados)

4004-4400

(Capitais e regiões metropolitanas)

0800 016 2000

(Demais regiões)

SAC

Reclamações, cancelamentos e informações sobre a Qualicorp, 24h por dia, todos os dias.

Vendas

Comercialização de planos de saúde para você ou para sua empresa.

Para você

Planos de saúde para categorias profissionais.

Se preferir adicione (11) 3178-4000 no seu celular.

ou ligue para:

(11) 3178-4000

(São Paulo)

0800 777 4004

(Demais regiões)

Para Sua Empresa

Soluções para empresas de todos os tamanhos

Empresas até 199 vidas (PME Qualicorp)

Solicite uma cotação:

ou ligue para: (11) 3149-8305

Segunda a sexta: 9h às 18h
Para saber mais sobre as soluções PME, clique aqui.

Empresarial

Segunda a sexta: 7h às 22h

(11) 3146-1012

Para solicitar uma cotação ou conhecer melhor as soluções da Qualicorp para benefícios corporativos, clique aqui.