Consequências do sedentarismo na infância

Compartilhe:
FacebookTwitterWhatsAppShare

Infância ideal é aquela em que a criança se alimenta bem, brinca, corre e, consequentemente, faz atividade física por meio dessas brincadeiras. Aquelas que preferem ficar na frente da TV correm risco de ter a saúde comprometida ao longo dos anos, até mesmo aproximar o risco de infarto na vida adulta.

Dados da ONU apontam que 7,3% das crianças abaixo de cinco anos estão acima do peso ideal.

Para o pediatra Nelson Ejzenbaum, preocupar-se com a alimentação da criança é fundamental. Oferecer comida saudável, restringir doces, refrigerantes e salgadinhos – ricos em gorduras – são atitudes importantes.

Com esse controle, o pediatra explica que já ajuda a reduzir colesterol e triglicérides dos pequenos. Para a obesidade, no entanto, não basta evitar as “bobagens”, mas também ter controle sobre o tamanho das porções.

O médico explica que há pais que permitem que a criança repita o prato muitas vezes.

“Tem que aprender que, mesmo que seja só comida, não pode comer três ou quatro pratos. E a refeição tem de ser balanceada: legume, verdura, grão, carne e carboidrato”, recomenda.

Quando a criança está com problemas para se sentir saciada, é preciso verificar se não há um fator emocional envolvido, como a ansiedade.

Sedentarismo preocupa

O cardiologista João Vicente da Silveira, do Hospital Sírio-Libanês, conta que os pais também são responsáveis pelo sedentarismo da criança, e que os brinquedos que não exigem atividade física da criança também atrapalham.

O ideal, segundo ele, é que os pais sejam o exemplo, e que resgatem as brincadeiras saudáveis de pedalar, brincar e correr.

E é por meio desse sedentarismo e alimentação errada que os índices de problemas cardíacos aumentam.

“O excesso de carboidrato pode se acumular como gordura no fígado. Pode também provocar uma alteração na glicemia. A criança entra por um caminho que leva ao diabetes em 10 ou 15 anos”, diz o médico.

Tratamento difere dos adultos

Não é possível receitar remédios para controlar a obesidade em crianças. Sendo assim, a reeducação alimentar e a atividade física são as medidas que revertem o problema.

Um bom sono também contribui, já que dormir mal aumenta a chance de ganhar peso.

De acordo com o endocrinologista Renato Zilli, as crianças que crescem obesas têm 80% de chance de também serem adultos obesos, e que, mesmo emagrecendo, o cérebro se esforça para recuperar os quilos perdidos.

Revisão técnica

  • Prof. Dr. Max Grinberg
  • Núcleo de Bioética do Instituto do Coração do HCFMUSP
  • Autor do blog Bioamigo

Fonte: site Coração e Vida, produzido com a curadoria do cardiologista Dr. Roberto Kalil Filho.

Abrir

 

Compartilhe:
FacebookTwitterWhatsAppShare

Central de Serviços

Consultas, solicitações e informações sobre seu plano.

Baixe nosso aplicativo

Boletos, Demonstrativo de IR, carteirinha e atendimento de um jeito prático.

Serviços úteis para você ter mais agilidade e segurança ao usar seu plano de saúde

Atendimento digital

Se preferir adicione (11) 4004-4400 no seu celular.

Dúvidas frequentes

Clique aqui e acesse as dúvidas mais comuns de nossos clientes.

Atendimento por telefone

Segunda a sexta: 7h às 22h

Sábados: 8h às 14h (exceto feriados)

4004-4400

(Capitais e regiões metropolitanas)

0800 16 2000

(Demais regiões)

SAC

Reclamações, cancelamentos e informações sobre a Qualicorp, 24h por dia, todos os dias.

Vendas

Comercialização de planos de saúde para você ou para sua empresa.

Para você

Planos de saúde para categorias profissionais.

Se preferir adicione (11) 3178-4000 no seu celular.

ou ligue para:

(11) 3178-4000

(São Paulo)

0800 777 4004

(Demais regiões)

Para Sua Empresa

Soluções para empresas de todos os tamanhos

Empresas até 199 vidas (PME Qualicorp)

Solicite uma cotação:

Segunda a sexta: 9h às 18h
Para saber mais sobre as soluções PME, clique aqui.

Empresarial

Segunda a sexta: 7h às 22h

(11) 3146-1012

Para solicitar uma cotação ou conhecer melhor as soluções da Qualicorp para benefícios corporativos, clique aqui.