O que é plano de saúde com carência?

Compartilhe:
FacebookTwitterWhatsAppLinkedInShare
O que é plano de saúde com carência. Ao lado do texto, imagem de blocos de madeira empilhados.

São várias as pessoas que compartilham da mesma dúvida: afinal, o que é plano de saúde com carência? Ao buscar um benefício do gênero, você pode ter se deparado com essa opção mas não entendeu muito bem o que significa, por isso, veja agora o que é plano de saúde com carência.

A carência é algo fácil de entender, principalmente porque estará descrito na apólice de contratação. Mas, estar familiarizado com o termo antes mesmo de fazer a contratação é indispensável no momento de uma contratação ou portabilidade.

O que é plano de saúde com carência?

A carência, basicamente, resume-se ao tempo que você deverá esperar para poder acionar a cobertura em determinados serviços e assistência. A carência é reguladas pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que determina prazos máximos para os períodos de carência.

Pelo que dispões a ANS, existe também a possibilidade de contratação de planos de saúde sem carência, mas as condições dependem da modalidade de contratação.

Prazos da carência

O prazo de carência dos planos de saúde, de acordo com a regulação da ANS permite os seguintes prazos:

  • 24 horas: como dito acima, quando há urgência e emergência, problemas na gestação, lesões graves e risco à vida.
  • 300 dias: para a realização de partos a termos (procedimentos feitos a partir da 38ª semana). Há casos em que se o parto for prematuro e/ou se enquadrar em emergência/urgência, podem ser realizados a partir de 180 dias.
  • 180 dias: para todas as outras situações (com exceção das que falamos acima e descreveremos abaixo), o prazo será de aproximadamente seis meses – como, por exemplo, necessidade de ressonância magnética ou cirurgia ambulatorial, entre outros.
  • 24 meses: caso o paciente possua algum tipo de doença ou lesão no momento da contratação, as preexistentes, terá esse prazo. Vale destacar que isso vale tanto para as informadas quanto não informadas no momento da contratação – isso porque o beneficiário, em várias situações, passa por uma perícia.

Utilização de serviços dentro da carência

Vale destacar outro ponto: além de casos como os de parto já citados anteriormente, muitos precisam utilizar os benefícios do plano de saúde dentro do período de carência. Quando falamos de problemas preexistentes, pode-se recorrer a uma cobertura parcial.

Já nos casos da utilização de um CTI ou UTI, além de corrigir doenças e lesões que já vinham com o paciente, será necessário pagar a mais para a aquisição do serviço. Esse ínterim, também comum em planos de saúde, é chamado de agravo.