O que é plano de saúde com coparticipação?

Compartilhe:
FacebookTwitterWhatsAppLinkedInShare
Texto: O que é plano de saúde com coparticipação. Ao lado médica de mascara escrevendo em prancheta

Os planos de saúde que você conhece são muito caros e não cabem no seu orçamento? Talvez um plano de saúde com coparticipação seja a melhor opção para você. Se você tem dúvidas, saiba agora o que é plano de saúde com coparticipação.

O que é plano de saúde com coparticipação?

O plano de saúde com coparticipação é aquele em que o beneficiário participa com o pagamento de uma porcentagem do valor de um procedimento ou evento – o que acaba deixando a mensalidade mais barata.

Esse tipo de plano é amplamente utilizado no mercado: segundo a ANS, mais de 52% dos beneficiários de planos médico-hospitalares possuem contrato ou com plano de coparticipação ou com plano de franquia.

Regulamentação da ANS em planos de coparticipação

Como as regras que gerem o mecanismo de coparticipação na Resolução do Conselho de Saúde Suplementar (CONSU) n° 08, de 3 de novembro de 1998, são genéricas e não determinam claramente as condições, critérios e limites para ele, a ANS decidiu fazer uma proposta de normativo para regularizar esses planos.

Segundo as novas regras, a ANS determina:

  • Percentual sobre o valor monetário do procedimento, grupo de procedimentos ou evento em saúde, efetivamente pago pela operadora ao prestador de serviços em saúde;
  • Percentual sobre os valores dispostos em tabela de referência que contenha a relação de procedimentos, grupos de procedimentos e eventos em saúde sobre os quais incidirá a coparticipação;
  • Valor fixo sobre o procedimento, grupo de procedimentos ou evento em saúde devido a título de coparticipação.

Como o plano com coparticipação funciona?

O plano de saúde com coparticipação na verdade parece muito com o plano de saúde tradicional, só que o usuário paga, além da mensalidade (bem mais baixa), por cada serviço que utilizar.

Ou seja, para cada consulta, internação ou exame que você fizer, há uma taxa que vai depender de qual seguradora escolher ou um valor fixo previsto por tabela.

O que é proibido pela ANS é a cobrança do valor integral ou superior ao procedimento feito, além de não ser cobrada a coparticipação no retorno de consultas dentro do prazo de 30 dias e não ser cobrada coparticipação em exames realizados quando o beneficiário estiver internado.

Vale a pena contratar um plano com coparticipação?

Para responder a essa pergunta, é preciso avaliar a sua demanda em relação a procedimentos médico-hospitalares. Se você não utiliza muito o plano de saúde, pode ser vantajoso por ter uma mensalidade bem mais baixa do que o plano tradicional e cobrar apenas uma taxa por cada consulta ou exame.

No entanto, quem utiliza muito o plano pode acabar pagando mais do que pagaria pelo plano tradicional.

Como 7 em cada 10 brasileiros não possuem plano de saúde, o sistema de coparticipação pode assegurar acesso a serviços de saúde em momentos de necessidade.

Por outro lado, a coparticipação não vale a pena se você possui uma doença preexistente, é idoso ou planeja ter um filho, pois todas essas situações exigem diversos procedimentos, visitas ao médico e podem encarecer muito o plano.

Nesses casos, um plano completo, com a cobertura que atende suas necessidades, certamente é o mais indicado, pois só exigirá a mensalidade definida junto à operadora.

O plano de saúde com coparticipação é muito procurado por empresas e associações por oferecer vantagens aos usuários e ser financeiramente mais viável, já que a mensalidade é mais barata.