Evite os prejuízos que o sol traz aos olhos

Compartilhe:
FacebookTwitterWhatsAppLinkedInShare

Assim como a pele, os olhos também podem enfrentar problemas quando ficam em contato com o sol sem a devida proteção, inclusive em dias nublados. Anos de exposição à radiação ultravioleta (UV) dos tipos A e B podem causar manchas de senilidade (envelhecimento) na pele ao redor da cavidade ocular, que podem chegar até ao desenvolvimento de cânceres; conjuntivite e lesões na córnea e na retina, entre outros problemas. 

 

“Alguns trabalhos apontam que a radiação UV pode aumentar em até 60% as chances de uma pessoa desenvolver catarata”, alerta o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto, do Instituto Penido Burnier (IPB) e realizador de pesquisas sobre a relação da exposição ao sol com os olhos.

 

Essa radiação ultravioleta não atinge os olhos apenas quando vem diretamente do sol. Queiroz conta de que a neve reflete 85% dos raios, superfícies vegetadas (como a grama), 35%, a água reflete 20% e a areia, 10%. E mais: em estudo feito em 2005, o médico constatou que menos de 1% dos brasileiros conhecia os riscos da exposição dos olhos ao sol e mais de 50% dos óculos escuros, a mais eficiente proteção para os olhos, não possuía filtros contra radiação UV.

 

“Para proteger a pele passa-se filtro solar, já para os olhos, precisa usar óculos com filtro, que vai absorver essa radiação. E o filtro precisa ser de boa qualidade (veja abaixo como identificar), não se pode comprar em camelôs a dois, três reais”, explica o oftalmologista Luiz Carlos Portes, membro do Conselho Consultivo da Sociedade Brasileira de Oftalmologia (SBO).

 

É importante lembrar que os horários em que o sol deve ser evitado para não causar riscos à pele (entre 11h e 17h) também funcionam com relação aos olhos. E Queiroz aponta outras maneiras de proteção contra a radiação UV:

  • Chapéus, viseiras e bonés com a aba voltada para frente;
  • Roupas de tecidos sintético e cores escuras. Tecidos tratados para bloquear raios solares chegam a oferecer 90% mais proteção;
  • Para os recém-nascidos, deve-se colocar uma fraldinha para proteger os olhos sob o sol;
  • Filtros solares com graus de proteção e em quantidades adequadas. Mas, cuidado: “os protetores têm química que pode irritar os olhos, causar alergia. O melhores protetores são os fisiológicos, geralmente os infantis, que têm menos conservantes”, explica o oftalmologista. Para saber mais sobre o uso de protetores solares, clique aqui e acesse.

 

Outra questão importante: como os problemas causados pelo sol aos olhos são cumulativos, é preciso fazer uma avaliação médica com frequência. “Deve-se ir ao oftalmologista uma vez por ano, especialmente quem trabalha em áreas de risco (ao ar livre, por exemplo). É o ideal, principalmente quando a idade vai avançando, pois algumas patologias têm maior probabilidade de surgir”, orienta Portes.

 

Saiba identificar se os óculos escuros têm filtros de proteção contra raios UV

 

O método mais eficiente de proteção contra o sol são os óculos escuros, que precisam ter filtros contra os raios UVA e UVB. “É uma película que bloqueia até 99% dos raios. O fato dos óculos serem escuro não quer dizer que têm filtro. E mais, um produto que não tem essa proteção causa maiores problemas, porque faz com que a menina dos olhos dilate mais, proporcionando entrada maior de radiação. Óculos transparentes com filtro, às vezes, filtram muito mais os raios que chegam aos olhos”, explica o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto.

 

Devido ao perigo que lentes sem filtro trazem aos olhos, é preciso atenção quanto ao local da compra dos óculos. ”Deve-se ir a casas de confiança e, se houver dúvidas, certos aparelhos confirmam a capacidade de proteção da lente. As óticas e oftalmologistas, no geral, contam com essa tecnologia. Mas também é possível identificar sem o aparelho, basta colocar a lente sob luz intensa e observar se tem quebra da luminosidade”, orienta o oftalmologista Luiz Carlos Portes.

 

O conselheiro da SBO ainda chama a atenção para uma questão que costuma passar despercebida, a armação dos óculos também deve ser bem escolhida: “é importante porque, se a radiação vem lateralmente, a armação fina não a bloqueia. A lente está na frente dos olhos, mas os raios podem entrar pelos lados e, portanto, a armação tem que ser maior”.

 

Com relação às lentes de contato, Queiroz afirma que 90% já contam com proteção contra radiação UV. “O ideal, porém, é que mesmo com a lente, coloque-se óculos para proteger os olhos”, completa Portes.

 

Crianças e idosos são mais vulneráveis à radiação ultravioleta

 

Todos devem proteger os olhos com relação aos raios solares, mas, existem casos em que a necessidade é ainda maior, conforme explica o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto. Trata-se de pessoas que trabalham no campo, esquiadores, pescadores e profissionais da natação, aviadores, alpinistas, operadores de alto forno, sopradores de vidro, soldadores,  técnicos de laboratório e fotógrafos que trabalham com UV artificial (como luz negra).

 

Segundo o oftalmologista, crianças são mais vulneráveis à radiação UV porque têm a pupila mais dilatada e menos pigmento no olho. O cristalino e a córnea delas também são menos eficientes na filtração. Até os 10 anos de idade, deve-se optar por chapéus, bonés ou viseiras para a proteção ocular, e não óculos escuros. Isso porque a visão ainda está em formação.

 

Queiroz ainda ressalta que idosos também entram nesse grupo de risco, bem como os albinos, devido à falta de pigmentação.

 

Mulheres têm conhecimento dos riscos, mas não protegem olhos contra o sol

 

Em abril de 2010, foram divulgados os resultados de uma pesquisa que o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto fez, em parceria com o Ibope, para avaliar como as mulheres lidam com a relação entre o sol e os olhos. O estudo constatou que 95% delas acreditam que o principal fator de envelhecimento da pele ao redor dos olhos é a luz solar, 83% crêem que lentes com proteção atuam contra essa questão e, para 97%, a radiação UV causa problemas oculares.

 

Mas, se há informação, falta ação. “Só 8% delas, quando vão à praia, usam óculos escuros. A maioria, 60%, vai à praia sem proteção de óculos, seja de grau (com filtro) ou de sol. Elas sabem dos problemas, mas não usam proteção. Falta um pouco de conscientização”, conclui Queiroz.

 

Compartilhe:
FacebookTwitterWhatsAppLinkedInShare

Central de Serviços

Consultas, solicitações e informações sobre seu plano.

Baixe nosso aplicativo

Boletos, Demonstrativo de IR, carteirinha e atendimento de um jeito prático.

Serviços úteis para você ter mais agilidade e segurança ao usar seu plano de saúde

Atendimento digital

Se preferir adicione (11) 4004-4400 no seu celular.

Dúvidas frequentes

Clique aqui e acesse as dúvidas mais comuns de nossos clientes.

Atendimento por telefone

Segunda a sexta: 7h às 22h

Sábados: 8h às 14h (exceto feriados)

4004-4400

(Capitais e regiões metropolitanas)

0800 016 2000

(Demais regiões)

SAC

Reclamações, cancelamentos e informações sobre a Qualicorp, 24h por dia, todos os dias.

Vendas

Comercialização de planos de saúde para você ou para sua empresa.

Para você

Planos de saúde para categorias profissionais.

Se preferir adicione (11) 3178-4000 no seu celular.

ou ligue para:

(11) 3178-4000

(São Paulo)

0800 777 4004

(Demais regiões)

Para Sua Empresa

Soluções para empresas de todos os tamanhos

Empresas até 199 vidas (PME Qualicorp)

Solicite uma cotação:

ou ligue para: (11) 3149-8305

Segunda a sexta: 9h às 18h
Para saber mais sobre as soluções PME, clique aqui.

Empresarial

Segunda a sexta: 7h às 22h

(11) 3146-1012

Para solicitar uma cotação ou conhecer melhor as soluções da Qualicorp para benefícios corporativos, clique aqui.